• Kelwin

Sagacidade do disco "Castelos & Ruínas"




O disco "Castelos & Ruínas" estimula a percepção, a sensibilidade, a cognição, a expressão e a criatividade. Além disso, ele possui também sua função social, pois é capaz de ampliar os horizontes. Antes que eu comece a falar sobre o álbum, quero que todos saibam que essa matéria vai além de uma simples resenha dos "portais de rap", estou aqui para fazer uma exposição!


Quando o disco foi lançado pelo rapper BK', em março de 2016, logo fui apreciar o trabalho como uma pessoa que acompanhou o MC desde o princípio. Por incrível que pareça, o rap que está sendo praticado no Brasil carece de MC's que realmente saibam abordar um determinado assunto, são poucos que conseguem! Tanto é que ao escutar o álbum pela primeira vez, eu simplesmente me emocionei.


Escutei o disco inúmeras vezes e cada vez mais mergulhava à fundo no disco, adianto que esse trabalho não é, de forma conclusiva, um disco qualquer com uma base simplificada! O que quero dizer é que tal envolvimento com a arte faz com que todos nós posicionamos os nossos olhares para dentro do nosso hemisfério.


Como todo MC gosta de dizer, a música é como um livro. E os fundamentos literários que abraçam “Castelos & Ruínas” não são tão claros, perceptíveis e manifestos assim. O que estou abordando é que existem muito mais elementos que os simples altos e baixos exemplificados em resenhas por outros portais e noticiários, e pelo próprio BK’ também.


Os versos oscilam entre a autoconfiança “Se o gatilho tá no meu porte eu aperto, não me arrependo” e a dúvida “Uma enchente de pensamentos, e a minha alma transborda/Se eu passar minha visão: quem que vai me entender?”, a arte aparece na famigerada crise existencial pela qual todo ser humano passa uma hora ou outra.


A intenção do disco não é só contar vantagem, mas sim apontar os dois lados da moeda! O disco quer retratar desde quando está tudo uma maravilha, até quando está tudo um inferno.

Sem dúvida alguma, esse é o disco mais introspectivo que já escutei na minha vida toda! E realmente não consigo descrever “Castelos & Ruínas” de uma forma tão simples, algumas situações do disco são fortes demais para que sejam apenas escritas. A vida é uma grande obra literária, afinal.


Devemos descobrir que para nos colocarmos a prova dessa forma, primeiro devemos estar prontos a reerguer a história dessas ruínas! É um processo desgastante, ou você aguenta o golpe, ou se rende.


Os versos que compõem o disco são atormentados, dialogam com o que há de mais comum e consequentemente sufocante na vida de qualquer pessoa. São composições que discutem tédio, ansiedade e depressão de forma detalhada, como um curioso exercício de descoberta pessoal.


Se tudo acaba, e nada é eterno, porque ainda assim desejos basicamente irreais incham nossas pretensões? BK' vai pra guerra com o que resta, ele não pode descansar porque a permanência no castelo necessita de uma movimentação intensa pra revogar a ruína, ou adiá-la.


Tudo o que nós precisamos saber sobre o disco, está escrito acima! Não sei o que todos os leitores vão extrair do texto, porém, essa é apenas uma perspectiva diferente de olhar para a arte! Todos nós podemos fazer das nossas ruínas a história mais bonita, se transforme, vá das ruínas para castelos que ninguém, jamais, será capaz de ultrapassar os muros, mas que será baixado os portões para todos os benévolos.



660 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Confira o videoclipe da música Parque de Depressões.

NOVIDADES

  • Instagram

©2020 - O Melhor do Rap Nacional